Arenápolis News - arenapolisnews.com.br
Esportes
Segunda - 24 de Agosto de 2015 às 08:45

    Imprimir


A atleta mato-grossense, Florence Lima Verde, 39 anos, ficou entre as 15 melhores no Mundial de Atletismo da categoria Master, que aconteceu em Lyon, na França. Florence terminou na 14ª colocação e enfrentou adversários de alto nível de todo o mundo. “O término da construção da pista no COT (Centro Oficial de Treinamento) da UFMT seria muito benéfico”.


Florence terminou o mundial entre as 15 melhores do mundo. A categoria a qual ela pertence (Master) é para atletas acima de 35 anos: “Durante o ano você compete dentro do seu país, fazendo ranking e pontuando para chegar lá. Se você tiver condições financeiras também vai, já que não é custeado pela federação”, disse ela ao Olhar Direto.

Em 2013, ela competiu no mundial (400m, 800m e 1.500m), que aconteceu no Brasil. Porém, neste ano decidiu brigar por medalha nos 800m e 1.500m. Na primeira, ficou em 13º lugar e na segunda, em 14º lugar. “O Brasil ficou em vigésimo lugar na classificação geral e a França em primeiro”.

Ao todo, foram 115 atletas brasileiros na delegação que participou do mundial na Europa: “Ser 14ª do mundo pra mim é uma honra. Sem contar que aqui em Cuiabá não temos estrutura de treino. Nós disputamos com países que vão com delegação completa, com médico e tudo. È uma superação, vamos pela força de vontade”. Para chegar à competição, ela foi patrocinada pela Unimed.

“Este ano temos o campeonato estadual em São Paulo (SP), em outubro. Depois, teremos o Sul-Americano, de 7 a 15 de novembro, em Porto Alegre (RS). Acredito que temos boas chances, já que o Brasil foi o primeiro colocado da América do Sul no Mundial”, explicou Florence.

A mato-grossense começou a correr mais intensamente depois que o filho dela nasceu: “Há sete anos que treino com este objetivo de competir e há três anos voltei as minhas atividades para a pista. Antes eu fazia muita corrida de rua, em 2012 cheguei a ficar em sexto lugar na Corrida de Reis”.

Florence cobra também apoio das empresas do Estado: “Para chegar ao Mundial eu consegui patrocínio. Porém, no cotidiano não temos incentivos. Precisamos disso para fomentar o esporte. Se você não faz isso, não leva as pessoas para a pista, não incentiva e, consequentemente, não tira as pessoas das ruas”.

A atleta finaliza dizendo que: “A construção da pista de atletismo no COT da UFMT seria essencial para nós. Não entendi porque demora tanto. Quando mudei para Cuiabá, eu treinava com a Nadir Sabino. A grande preocupação dela no dia que fechou a pista era de que ela não ia ver abrir novamente. Na UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), era um lugar que ficava cheio de gente praticando esporte. Seria essencial”.


Atleta mato-grossense fica entre as 15 melhores do mundo em competição na França


Foto: Reprodução





Fonte: Olhar Direto

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://arenapolisnews.com.br/noticia/105171/visualizar/